segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Resenha: O Menino do Pijama Listrado (livro)

Galera faz tempo que não tem resenha de livro aqui no melancia, hoje resolvi fazer uma Resenha de um livro chamado O menino do pijama listrado, este livro é bem legal e interessante espero que vocês gostem.
Livro resenha
Livro resenha
O Menino do Pijama Listrado é um ótimo livro. Foi o primeiro livro de John Boyne escrito para o público jovem.
Uma característica da narrativa bem interessante é que mesmo sendo narrado em 3ª pessoa, o narrador conta a história sob a visão de Bruno, que é um menino de 9 anos. Por isso os seus pensamentos e suas impressões do mundo estão contadas da forma como Bruno os vê. Isso dá uma impressão de que o livro parece infantil, mas não é. No próprio livro é dito que apesar do personagem principal ter nove anos, este não é um livro recomendado para uma criança de nove anos. Apesar dessa característica, O Menino do Pijama Listrado é uma história séria e forte.
Essa mesma narrativa com o olhar infantil é tão interessante que me deixou até com saudades da minha infância, em como eu pensava que as coisas eram boas e fáceis, assim como Bruno pensava. E esse é o propósito do livro: lhe colocar sob um olhar infantil, para que você entenda como ele pensou e porque tomou certas atitudes. O objetivo também é mostrar a tamanha inocência de uma criança diante de uma situação de risco e numa situação de calamidade, que no caso deste livro, é a Segunda Guerra Mundial.
O Menino do Pijama Listrado é um livro sensacional. É um livro muito bem escrito por John Boyne.
Ficha técnica:
Título Original: The Boy in the Striped Pyjamas

Título Nacional: O Menino do Pijama Listrado

Autor: John Boyne

Editora: Cia. das letras

Número de páginas: 192

Ano: 2007

O bom humor faz bem para saúde

“Procure ver o lado bom das coisas ruins.” Essa frase poderia estar em qualquer livro de auto-ajuda ou parecer um conselho bobo de um mestre de artes marciais saído de algum filme ruim. Mas, segundo os especialistas que estudam o humor a sério, trata-se do maior segredo para viver bem. Não é difícil encontrar exemplos que comprovam que eles têm razão. Como um palmeirense poderia manter o alto-astral depois que seu time perdeu a final da Taça Libertadores da América? Fácil. É só lembrar que o Palmeiras eliminou o arqui-rival Corinthians nas semifinais da competição. Inversamente, a mesma situação pode servir para manter o bom humor do corintiano. Afinal, embora seu time tenha sido eliminado, o Palmeiras acabou morrendo na praia. Não se trata de ver o mundo com os olhos róseos de Pollyanna. Esse tipo de flexibilidade para encarar os acontecimentos ruins não garante apenas algumas risadas: pode fazer bem para a saúde.
O bom humor é, antes de tudo, a expressão de que o corpo está bem. Ele depende de fatores físicos e culturais e varia de acordo com a personalidade e a formação de cada um. Mas, mesmo sendo o resultado de uma combinação de ingredientes, pode ser ajudado com uma visão otimista do mundo. “Um indivíduo bem-humorado sofre menos porque produz mais endorfina, um hormônio que relaxa”, diz o clínico geral Antônio Carlos Lopes, da Universidade Federal de São Paulo. Mais do que isso: a endorfina aumenta a tendência de ter bom humor. Ou seja, quanto mais bem-humorado você está, maior o seu bem-estar e, conseqüentemente, mais bem-humorado você fica. Eis aqui um círculo virtuoso, que Lopes prefere chamar de “feedback positivo”. A endorfina também controla a pressão sangüínea, melhora o sono e o desempenho sexual. (Agora você se interessou, né?)
Mas, mesmo que não houvesse tantos benefícios no bom humor, os efeitos do mau humor sobre o corpo já seriam suficientes para justificar uma busca incessante de motivos para ficar feliz. Novamente Lopes explica por quê: “O indivíduo mal-humorado fica angustiado, o que provoca a liberação no corpo de hormônios como a adrenalina. Isso causa palpitação, arritmia cardíaca, mãos frias, dor de cabeça, dificuldades na digestão e irritabilidade”. A vítima acaba maltratando os outros porque não está bem, sente-se culpada e fica com um humor pior ainda. Essa situação pode ser desencadeada por pequenas tragédias cotidianas – como um trabalho inacabado ou uma conta para pagar –, que só são trágicas porque as encaramos desse modo.
Evidentemente, nem sempre dá para achar graça em tudo. Há situações em que a tristeza é inevitável – e é bom que seja assim. “Você precisa de tristeza e de alegria para ter um convívio social adequado”, diz o psiquiatra Teng Chei Tung, do Hospital das Clínicas de São Paulo. “A alegria favorece a integração e a tristeza propicia a introspecção e o amadurecimento.” Temos de saber lidar com a flutuação entre esses estágios, que é necessária e faz parte da natureza humana. O humor pode variar da depressão (o extremo da tristeza) até a mania (o máximo da euforia). Esses dois estados são manifestações de doenças e devem ser tratados com a ajuda de psiquiatras e remédios que regulam a produção de substâncias no cérebro. Uma em cada quatro pessoas tem, durante a vida, pelo menos um caso de depressão que mereceria tratamento psiquiátrico.
Enquanto as conseqüências deletérias do mau humor são estudadas há décadas, não faz muito tempo que a comunidade científica passou a pesquisar os efeitos benéficos do bom humor. O interesse no assunto surgiu há vinte anos, quando o editor norte-americano Norman Cousins publicou o livro Anatomia de uma Doença, contando um impressionante caso de cura pelo riso. Nos anos 60, ele contraiu uma doença degenerativa que ataca a coluna vertebral, chamada espondilite ancilosa, e sua chance de sobreviver era de apenas uma em quinhentas. Em vez de ficar no hospital esperando para virar estatística, ele resolveu sair e se hospedar num hotel das redondezas, com autorização dos médicos. Sob os atentos olhos de uma enfermeira, com quase todo o corpo paralisado, Cousins reunia os amigos para assistir a programas de “pegadinhas” e seriados cômicos na TV. Gradualmente foi se recuperando até poder voltar a viver e a trabalhar normalmente. Cousins morreu em 1990, aos 75 anos.
Se Cousins saiu do hospital em busca do humor, hoje há muitos profissionais de saúde que defendem a entrada das risadas no dia-a-dia dos pacientes internados. O mais radical deles é Patch Adams, um médico americano que começou no mês passado a construir o primeiro “hospital bobo” do mundo (veja o quadro acima). Adams quer que os doentes dêem risadas enquanto se recuperam. Uma boa gargalhada é um método ótimo de relaxamento muscular. Isso ocorre porque os músculos não envolvidos no riso tendem a se soltar – está aí a explicação para quando as pernas ficam bambas de tanto rir ou para quando a bexiga se esvazia inadvertidamente depois daquela piada genial. Quando a risada acaba, o que surge é uma calmaria geral. Além disso, se é certo que a tristeza abala o sistema imunológico, sabe-se também que a endorfina, liberada durante o riso, melhora a circulação e a eficácia das defesas do organismo.
A alegria também aumenta a capacidade de resistir à dor, graças também à endorfina. Vários estudos já comprovaram isso, alguns deles bem engraçados. Uma dessas pesquisas colocou um grupo com as mãos dentro de um balde de água gelada enquanto passava um filme humorístico. Essas pessoas ficavam com as mãos na água mais tempo que outros sem estímulo divertido.
Evidências como essa fundamentam o trabalho dos Doutores da Alegria, que já visitaram 170 000 crianças em hospitais. As invasões de quartos e UTIs feitas por 25 atores vestidos de “palhaços-médicos” não apenas aceleram a recuperação das crianças, mas motivam os médicos e os pais. A psicóloga Morgana Masetti acompanha os Doutores há sete anos. “É evidente que a trabalho diminui a medicação para os pacientes”, diz ela.
O princípio que torna os Doutores da Alegria engraçados tem a ver com a flexibilidade de pensamento defendida pelos especialistas em humor – aquela idéia de ver as coisas pelo lado bom. “O clown não segue a lógica à qual estamos acostumados”, diz Morgana. “Ele pode passar por um balcão de enfermagem e pedir uma pizza ou multar as macas por excesso de velocidade.” Para se tornar um membro dos Doutores da Alegria, o ator passa num curioso teste de autoconhecimento: reconhece o que há de ridículo em si mesmo e ri disso. “Um clown não tem medo de errar – pelo contrário, ele se diverte com isso”, diz Morgana. Nem é preciso mencionar quanto mais de saúde haveria no mundo se todos aprendêssemos a fazer o mesmo.


Fonte: http://super.abril.com.br/

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Dica de Livro - Pai, Me Compra Um Amigo? -

Resultado de imagem para Resenha do livro Pai, me compra um amigo?

Pai, me compra um amigo?, de Pedro Bloch conta a história de Bebeto, um garoto inseguro, tímido e carente que cresceu sentindo falta de atenção dos pais que trabalhavam e o deixavam aos cuidados de uma babá.

Ao dar seus primeiros passos ao invés do abraço recebeu uma palmada da babá que estava assistindo a novela. Quando tinha cinco anos pediu ao pai que comprasse um cachorrinho — queria ter um amigo — e como resposta levou a maior bronca dos pais. Então pediu que o pai lhe comprasse um amigo e o pai, é claro, nem percebeu a solidão do garoto e apenas retrucou onde comprar um amigo?

Esta é a história de Bebeto, um menino diferente que queria apenas achar seu lugar no mundo: ser aceito, compreendido e amado. Apesar de ter uma família com excelente condição financeira, sentia-se solitário — pais ausentes, colegas preconceituosos.

Discriminado por seus colegas de escola tornou-se um menino triste, rejeitado e de baixa estima até o dia em que Paula — uma colega de escola que aos poucos estava tentando entende-lo e apoiá-lo — convence seus amigos a ajudá-lo.

Bebeto, por sua vez, muda sua atitude e passa a se esforçar mais em suas atividades escolares e isto, é claro, faz com que se socialize mais com os demais colegas que acabam percebendo que aquele menino “bobo” era inteligente, jogava xadrez e pensava como gente grande, portanto, merecia uma oportunidade.

Bebeto descobre que não é tão diferente dos outros como pensava e que não era o único a ter problemas e, entao, decide lutar para conquistar a atenção e o carinho de seus pais. Quando finalmente o pai de Bebeto percebe o quanto tinha negligenciado o seu filho e o quanto este estava se esforçando, começa a tentar conhecer o próprio filho.

Pai, me compra um amigo?, do Pedro Bloch, é sem dúvida uma comovente história de um grande valor humano e pedagógico que aborda as relações humanas e o preconceito contra o que é diferente.

Este livro deveria ser lido por todos, por que além de nos trazer uma mensagem de esperança e de renovação na relação pais e filhos, nos conduz a refletir e repensar sobre o nosso papel enquanto pais, educadores ou até mesmo como amigos.

Na verdade, temos conhecimento de que muitas crianças, muito embora algumas tenham dinheiro — o que significa que boa condição financeira não determina felicidade — não se sentem amadas pelos pais e muito menos aceitas e compreendidas pelos amigos, o que as leva a ter problemas de aprendizagem e de convívio social, porém, quando conseguem conquistar e serem conquistados por amigos que os entendam, que os aceitem e que os respeitem conseguem superar-se e, muitas vezes, surpreenderem a si mesmo e aos demais.

Neste livro, Bebeto nos ensina que sempre há uma chance de mudar, pois mesmo sendo um menino muito especial e à primeira vista, cheio de problemas e, como ele mesmo pensa e diz, com inúmeros “defeitos” — tinha um defeito nas pernas — portanto, ninguém gostava dele, consegue reverter toda esta situação através do apoio e compreensão de uma colega que se dispõe a ajudá-lo a recuperar a auto-estima, amadurecer e crescer em todos os sentidos, conquistando assim novos amigos e, posteriormente, seus pais.

Pai, Me Compra Um Amigo?
Autor: Pedro Bloch
Editora: Ediouro, Paradidatic
Assunto:Literatura Juvenil
Preço: De R$ 19,71 até 21,90

Blog Livros Pra Ler e Reler

sábado, 11 de junho de 2016

LEITURAR

 

A Leiturar é um empreendimento social, criada como trabalho acadêmico. Nosso intuito é incentivar e preservar a leitura, através das doações de livros.
Olá Livronautas!!
Iremos disponibilizar alguns livros de diferentes gêneros para doação com o objetivo de incentivar a leitura. Faremos um trabalho social com atividades voltadas para as crianças, e, aceitamos doações de livros infantis para a realização deste evento.
Estabelecemos nosso contato pelo e-mail: leiturarprojeto@gmail.com, onde serão fornecidas informações sobre o livro de escolha, entrega e demais assuntos.
Sejam Bem vindos, agradecemos cada curtida na página.

Esta é a lista atualizada dos livros que estamos doando.
Para adquirir nossos livros basta seguir 3 passos simples:
1- Escolha seu livro
2- Entre em contato conosco através do e-mail: leiturarprojeto@gmail.com
3- Informe as características do livro escolhido (nome e autor) e endereço para realização da entrega (entregamos em shoppings, centros, estações de metrô e praças do bairro escolhido).

Água Para Elefante - Sara Gruen - Bom estado.
A Educação Pela Pedra -João Cabral de Melo Neto.
Alguém Bateu Na Minha Porta - Osvaldo Jorge Degrazia - Bom estado.
A Minhoca Sonhadora - Sandro Dinarte - Bom estado.
A Pipa Preta - Cristiane Dantas - Bom estado.
A Saga Crepúsculo AMANHECER - Stephenie Meyer - Bom estado.
A Saga Crepúsculo LUA NOVA - Stephenie Meyer - Bom estado.
A Vez Da Minha Vida - Cecelia Ahern - Bom estado.
A Hora É Agora! - Zibia Gasparetto - Bom estado.
A Lei Da Atração da Série O SEGREDO - Bom estado.
A Lenda Do Dia E Da Noite - Rui de Oliveira.
As Brumas de Avalon 1 ° - Marion Zimmer Bradley - Estado regular.
As brumas de Avalon 2° - Marion Zimmer Bradley - Bom estado.
As Brumas de Avalon 3°- Marion Zimmer Bradley - Bom estado.
A Moreninha - Joaquim Manuel de macedo - Bom estado.
A Colina Dos Suspiros - Moacyr Scliar - Bom estado.
Capitães da Areia - Jorge Amado - Estado regular.
Confesso Que Vivo - Pablo Neruda.
Deixa Que Eu Faço - Brian Moses e Mike Gordon - Bom estado.
De Frente Com A Verdade - Mônica de Castro - Bom estado.
Diário do Futuro (1º) - Mirai Nikki - Bom estado
Diários do Vampiro, O despertar - L.J. SMITH - Bom estado
Diferentes Somos Todos - Alina Perlman - Bom estado
Eu, Christiane F. Treze anos, Drogada, Prostituída - Kai Hermann e Horst Rieck - Bom estado.
Ele Está De Volta - Timur Vermes - Bom estado.
Eles Não Usam Black - Tie - Gianfrancesco guarnieri - Bom estado.
Em Nome de Sua Majestade - Ivan Sant'Anna - Bom estado.
Feitas De Fumaça E Osso - Laini Taylor - Bom estado.
Gibi Turma da Mônica Jovem - Mauricio de Souza.
Histórias Sobre Ética - Marisa Lajolo - Bom estado.
Melhor Do Que Comprar Sapatos - Cristiane Cardoso - Bom estado.
Morri Para Viver - URACH - Bom estado.
Morte E Vida De Charlie st. Cloud - Ben Sherwood - Bom estado.
Não Comi, Não Rezei, Mas Me Amei - Gisele Rão - Bom estado.
Nunca Desista de Seus Sonhos - Augusto Cury - Bom estado.
O Ano Dos Três Desejos - Noelle Oxenhandler - Bom estado.
O Beijo do Inimigo - Nadja Lacerda - Bom estado.
O Cortiço - Aluísio de Azevedo - Bom estado.
O Curtinho azul - Rosendo Kurányi
O Milagre - Nicholas Sparks - Bom estado.
O Símbolo Perdido - Dan Brown - Bom estado.
O Sucesso É Ser Feliz - Roberto Shinyashiki - Bom estado.
O Perfume, História de Um Assassino - Patrick Suskind - Bom estado.
Onde Tem Bruxa, Tem Fada - Bartolomeu Campos Queiróz
Pedra de Pasciência - Atiq Rahimi
Quero Um Irmãozinho - Maíra Menéndez
Sentindo Na Própria Pele - Mônica de Castro - Bom estado.
Sobre O Amor - Leandro Konder - Bom estado.
Só O Amor É Real - Brian Weiss - Bom estado.
Todo Gibran - Gibran - Bom estado.
Torpedo - Lisi Harrison - Bom estado.
Tropical Sol da Liberdade - Ana Maria Machado
Verdade Tropical - Caetano Veloso - Bom estado.
Vingança da Maré - Elizabeth Haynes - Bom estado.










sexta-feira, 10 de junho de 2016

💚💚💚💚 -Conheça os benefícios da beterraba - 💚💚💚💚


A beterraba nos ajuda a reduzir o estresse e a desfrutar de uma sensação de bem estar e, portanto, proporciona uma melhor qualidade de vida.



 

terça-feira, 5 de abril de 2016

Coincidências ou Providencias de Deus

Coincidências ou Providencias de Deus.

Hoje dia 04/04/2016 meus amigos de trabalham realizam um chá de bebê para o meu filho LUIZ MIGUEL.

Há muitos anos minha mãe precisava muito de repouso para que a sua oitava gestação tivesse sucesso e uma família não sanguínea, porém do coração cuidou de nossa família.

Essa família desprendida de quaisquer valores morais, foram primordial para essa gestação.

Eu nasci e sobre o carinho de cada um deles para conosco.

O filho mais novo - Mario César – foi uma das pessoas que influenciaram os meus pais a colocar o meu nome.

O filho mais velho – Clayton – foi o irmão mais velho que todos queriam ter, amigo, companheiro e educador.

Meu tio MIGUEL foi incentivador e um exemplo de marido, companheiro e pai.

Minha tia SEVI uma discípula de Jesus Cristo, uma mãe adorável, uma amiga e conselheira. Simples e charmosa.

Onde está as coincidências?

Hoje não tenho nenhum deles mais comigo.
Hoje é a data de aniversário de minha Amada Tia Sevi e também uma comemoração para a chegada do meu filho Luiz Miguel. Miguel em homenagem ao meu segundo Pai – meu amado tio ou melhor ao MEU QUERIDO e MINHA QUERIDA como eles se tratavam.


quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Os 5 “Rs” da reciclagem. É simples ajudar o planeta.


A produção de resíduos é um dos grandes desafios globais enfrentado pelo mundo. Com o aumento da população e da capacidade de consumo esse problema tende a se agravar cada vez mais. Hoje anualmente no mundo são coletados cerca de 1,3 bilhões de toneladas de resíduos sólidos segundo o PNUMA(Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), e esse valor deve chegar a 2,2 bilhões até 2025, aumento concentrado principalmente nos países em desenvolvimento.

Quanto à coleta de lixo, cerca de 3,5 bilhões de pessoas, metade da população mundial, não têm acesso a ela. Apesar da disposição desses resíduos ser um grande problema, 1,3 bilhões de toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente,  cerca de um terço do consumo da humanidade.

No Brasil o problema não é diferente, entre 2011 e 2012 a geração de resíduos sólidos aumentou proporcionalmente mais do que a população. Em 2012 a geração de resíduos no Brasil totalizou 6,2 milhões toneladas.

De todos os resíduos gerados no Brasil, aproximadamente 42% não possuem destinação adequada, ou seja, vão para lixões ou aterros controlados, os quais não possuem condições sanitárias satisfatórias para proteger a população e o meio ambiente. Soma-se a isso o fato de 40% dos municípios brasileiros não possuírem coleta seletiva.

Diante da magnitude do problema, não só o poder público, mas toda a sociedade deve tomar atitudes para reduzir a geração de resíduos. Umas das formas de se aproximar desse objetivo são os 5 Rs, que representam atitudes que podem ser tomadas tanto individualmente, como por empresas que tem por objetivo diminuir a geração de resíduos e, em consequência, minimizar seu impacto sobre o meio ambiente.

 Os 5Rs


Os 5Rs são 5 ações que visam reduzir a geração de resíduos, a idéia parte do principio fundamental que a redução do consumo é a forma mais eficiente de alcançar esse objetivo, mas quando o consumo for necessário deve-se  então levar em conta o impacto envolvido na produção do que estamos consumindo e qual é melhor forma de reutilizá-lo após seu uso.


Reduzir

Nossa economia baseada no consumo elevou a produção de bens e a utilização de recursos a um patamar inédito em nossa história. Para se ter noção hoje em dia cada brasileiro consome por ano, em média, 152 kg de aço, 80,5 kg de carne, 59,2 Giga Joules de energia, liberamos 1,8 toneladas de CO2 na atmosfera e produzimos 384 kg de resíduos sólidos por habitante, e conforme nossa economia avança esses números tendem a aumentar. Assim é de fundamental importância que passemos a consumir com mais qualidade, evitando o consumo aquilo que é desnecessário sempre que possível.


Repensar

Parte significativa dos danos causados por um produto não esta em seu descarte, mas sim em seu processo de produção e em seu uso, por isso quando compramos algo devemos ter sempre em mente o ciclo de vida daquele produto, ou seja, devemos considerar todos os impactos evolvidos durante o ciclo produtivo, dês da extração da matéria prima até o descarte. Abaixo segue um exemplo da analise do ciclo de vida de uma calça jeans:

Fonte: http://ativarsentidos.com.br/


Reaproveitar

Ao reaproveitar um produto reduzimos a necessidade de sua fabricação, estendendo a vida útil do mesmo, por isso de preferência a produtos retornáveis, que tal uma cerveja na garrafa retornável ao invés da latinha?

Reciclar

Se não é possível reutilizar um produto a reciclagem é a melhor alternativa. Ela diminui a necessidade de explorar recursos naturais cada vez mais escassos em nosso planeta e todo impacto associado a essa exploração, além disso, o processo de reciclagem exige menos energia e insumos que o processo produtivo tradicional.

reciclar-economiza-energia_sustentabilidade

Recusar

Hoje em dia um dos principais poderes que temos para alterar a sociedade é o de consumidor, por isso é de fundamental importância ao consumir levar em conta os princípios morais que utilizamos em outros aspectos de nossa vida, assim podemos recusar aqueles produtos que gerem impactos socioambientais significativos. Lembrem-se nós somos co-responsáveis pelos impactos causados na produção daquilo que consumimos, e por isso devemos fazê-lo com responsabilidade.

Com o crescente aumento do consumo, e o consequente impacto atrelado a ele, devemos cada vez mais consumir com qualidade, ou seja, também colocar na balança o impacto negativo que um determinado produto causa para sociedade ao longo de seu ciclo de vida. Uma boa forma de seguir essa idéia são os 5Rs, que são ações que tomadas em conjunto tendem a tornar a atitude de consumir e descartar algo mais racional, priorizando a qualidade de vida e sustentabilidade.
Por isso ao consumir leve em conta a real necessidade daquele produto, as opções disponíveis, os impactos envolvidos durante sua produção e como será sua destinação após seu uso. Todos somos responsáveis por nossas ações, inclusive nosso consumo. Lembre-se que dividimos o mundo com mais de 7 bilhões de pessoas, e todos temos que utilizar recursos desse planeta e ainda preservá-lo para as inúmeras gerações que ainda vão habitá-lo.



Fonte: http://ecohospedagem.com/os-5-rs-da-reciclagem-e-simples-ajudar-o-planeta

Mexa-se!





A economia está mesmo esquisita! Duvida? Então acompanhe dois eventos, acontecendo ao mesmo tempo.
Cena 1: um empresário fala em crise e queixa-se das dificuldades que enfrenta para manter sua empresa lucrativa.
Cena 2: outro empresário fala, entusiasmado, que pretende expandir seu mercado e ampliar a linha de produtos.
Para uma explicação, poderíamos pensar em várias alternativas: ramos de atividade diferentes, mercados muito específicos, um representa um nicho e o outro talvez esteja num mercado de commodities que são produtos e serviços em estágios diferentes de seus ciclos de vida. Cada uma dessas possibilidades justifica alguns fatores, mas fixar-se apenas nesses fatores denota uma visão muito simplista.
Sabemos muito bem que nunca, em nossa economia, esteve tão favorável para aqueles que desenvolvem suas competências, alterando sua forma de atuar, e nunca esteve tão desfavorável para os que continuam amadores, sem novos conhecimentos, teimando em permanecer na mesmice.
Uma das principais diferenças das empresas que desenvolveram novas competências é que aprenderam a não esperar. Nesse sentido, é bem verdade que o mercado não está – de maneira geral – aquecido e demandante. Não dá para faturar o necessário para cobrir os custos e gerar lucros suficientes, com aquela velha atitude de aguardar que o cliente entre na loja ou ficar ao lado do telefone, esperando uma ligação que ponha a área comercial em movimento. A passividade não combina com a atual conjuntura – aliás, para dizer a verdade nua e crua, não combina com nenhuma situação. O mercado precisa ser instigado, provocado, cutucado.
As empresas que estão conseguindo bons resultados possuem equipes que adotam uma postura pró-ativa, ou seja, vão à luta, não esperam “a banda passar”. Os líderes reúnem suas equipes de vendas, estimulando-as a entrar em campo com muita garra, agindo da mesma forma com seus representantes e distribuidores. Lançam desafios, estabelecem metas, demonstram reconhecimento, quando a turma consegue bons feitos e ajudam o pessoal a corrigir o rumo, quando há equívocos. Mantêm canais abertos com os clientes finais, procuram conhecer suas necessidades e compreender suas realidades, levam em consideração suas queixas, enfim… corrigem, ratificam e aprimoram.
Nesse tipo de empresa, os desafios são contínuos, mas sempre bem-vindos e gratificantes. O bom astral contribui muito para o sucesso, estimula as energias das pessoas que produzem e atendem o cliente, que também fica sadiamente contaminado por esse entusiasmo.
Nada é pior para os negócios do que um ambiente onde a desesperança prevalece, pois as pessoas passam o dia inteiro reclamando da vida, da economia, do governo e sequer tentam fazer algo diferente para mudar a situação! Só sabem reclamar e procurar culpados em tudo quando é canto, menos no lugar certo.
Pessimismo também contagia. Caia fora dessa! Trate de encontrar outras maneiras de ver a sua empresa, o seu mercado, o seu negócio. Afaste-se do ciclo vicioso da escassez, com uma atitude positiva. Amplie os conhecimentos, expanda as ideias, leia bons livros de negócios, converse com líderes que conseguem ver o mundo sob o prisma da abundância. E, sobretudo, reúna seus colaboradores para encontrar formas de acertar em cheio na mira do sucesso.
Mexa-se!

Fonte: http://www.metanoia.net/artigos/mexa-se

terça-feira, 15 de setembro de 2015

O que é o ISE

Apresentação
Iniciativa pioneira na América Latina, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) busca criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de desenvolvimento sustentável da sociedade contemporânea e estimular a responsabilidade ética das corporações. Iniciado em 2005, foi originalmente financiado pela International Finance Corporation (IFC), braço financeiro do Banco Mundial, e seu desenho metodológico é responsabilidade do GVces.
O ISE é uma ferramenta para análise comparativa da performance das empresas listadas na BM&FBovespa sob o aspecto da sustentabilidade corporativa, baseada em eficiência econômica, equilíbrio ambiental, justiça social e governança corporativa. Também amplia o entendimento sobre empresas e grupos comprometidos com a sustentabilidade, diferenciando-os em termos de qualidade, nível de compromisso com o desenvolvimento sustentável, equidade, transparência e prestação de contas, natureza do produto, além do desempenho empresarial nas dimensões econômico-financeira, social, ambiental e de mudanças climáticas.
A mais recente carteira do ISE foi anunciada em 26 de novembro de 2014 e vigora entre 05 de janeiro de 2015 a 02 de janeiro de 2016. A nova carteira reúne 51 ações de 40 companhias, que representam 19 setores e somam R$ 1,22 trilhão em valor de mercado, o equivalente a 49,87% do total do valor das companhias com ações negociadas na BM&FBOVESPA (em 24/11/2014). Saiba mais
Das 40 empresas selecionadas, quatro são novas: JSL, B2W DIGITAL, LOJAS AMERICANAS e LOJAS RENNER, as três últimas responsáveis pelo ingresso do setor "Comércio" ao ISE. O aumento no número de setores amplia a atratividade para o investidor, pela maior diversificação, e também demonstra que o movimento de Sustentabilidade ganha maturidade ao estender o seu alcance setorial.
A décima carteira do ISE também traz expressivo aumento da transparência por parte das companhias. O número de empresas que autorizaram a abertura das respostas do questionário saltou de 22 para 34 (ver quadro abaixo) e agora representa 85% do total da nova carteira. No ano passado, representava 55%.
Foram convidadas para participar da carteira as 182 companhias que detinham as 200 ações mais líquidas da Bolsa na virada da carteira em janeiro de 2014. Destas, 49 concorreram em uma ou mais categorias (46 Elegíveis à carteira, 01 como Treineira e 08 no Simulado).
Este ano, o processo do ISE contou novamente com a Asseguração da KPMG, que emitiu uma carta sem ressalvas em relação ao processo ISE, o que contribui para conferir ainda mais credibilidade aos procedimentos. Além disso, o ISE segue com a parceria de monitoramento diário de imprensa com a empresa Imagem Corporativa.
Carteira 2015
AES Tietê*CEMIG*ELETROBRAS*ITAUSA*SABESP
B2W DIGITAL*CIELO*ELETROPAULO*ITAU UNIBANCO*SANTANDER BR*
BANCO DO BRASIL*COELCE*EMBRAERJSL*SUL AMERICA*
BICBANCO*COPEL*EVEN*KLABIN S/A*TELEF BRASIL (TELEFÔNICA)
BRADESCO*CPFL ENERGIA*FIBRIA*LIGHT S/A*TIM PART S/A
BRASKEM*DURATEX*FLEURY*LOJAS AMERIC (LOJAS AMERICANAS)*TRACTEBEL*
BRF SA*ECORODOVIAS*GERDAULOJAS RENNER*VALE*
CCR SA*ENERGIAS BR (EDP)*GERDAU METNATURA*WEG*
* Empresas que autorizaram a abertura das respostas do questionário

O ISE é atualizado a partir de questionários que são distribuídos entre as empresas emissoras das ações mais líquidas da BM&FBovespa. A metodologia aplicada ao ISE está apresentada no questionário-base 2005, cuja versão mais recente é resultado de revisão conduzida pelo GVces em workshops no ano de 2012.


Missão
Induzir as empresas a adotarem as melhores práticas de sustentabilidade empresarial e apoiar os investidores na tomada de decisão de investimentos socialmente responsáveis.
Pressupostos
•Buscar constante alinhamento com os temas e desafios globais da sustentabilidade
•Promover a melhoria contínua das estratégias e práticas empresariais em sustentabilidade
Objetivos estratégicos para o quinquênio 2011-2015
1. Ampliar a abertura de informações ao mercado
2. Aumentar a participação das empresas no processo de seleção
3. Aumentar o volume de recursos investidos e produtos atrelados ao ISE e torná-lo um benchmark de investimentos
4. Fortalecer os canais de comunicação e diálogo com as partes interessadas
5. Trabalhar pelo aperfeiçoamento do escopo e processos de elaboração do questionário (refinamento e aperfeiçoamento da metodologia, processos de seleção das empresas, verificação etc.)
- See more at: http://isebvmf.com.br/?r=site/conteudo&id=1#sthash.iaozKWm8.dpuf

10 práticas de sustentabilidade empresarial mais valorizadas

10 práticas de sustentabilidade empresarial mais valorizadas


Tempos de transparência

São Paulo - Pesquisa realizada pelo Instituto Akatu aponta quais são as práticas de Responsabilidade Social Empresarial que os consumidores brasileiros mais valorizam nas companhias e alerta: apenas 8% da população diz acreditar nas informações de RSE que as empresas divulgam atualmente.

1 - Não ao trabalho infantil e escravo

Não utilizar o trabalho infantil e forçado e exigir, em contrato, que toda a cadeia de valor assuma o mesmo compromisso foi a prática de Responsabilidade Social Empresarial (RSE) mais valorizada pelos 800 brasileiros entrevistados para a Pesquisa Akatu 2012.
NOTA MÉDIA: 2,74
ESSENCIALIDADE: 44%

2 - Igualdade de oportunidade

Ter programas de contratação, capacitação e promoção de mulheres, negros e pessoas portadoras de deficiência, visando promover a igualdade de oportunidades, é a segunda prática de RSE que os consumidores mais priorizam nas companhias.
NOTA MÉDIA: 2,71
ESSENCIALIDADE: 37%

3 - Remuneração justa

Assegurar aos trabalhadores uma remuneração que garanta um nível de vida adequado a eles e a suas famílias é a terceira prática de RSE que os consumidores mais valorizam nas companhias.
NOTA MÉDIA: 2,69
ESSENCIALIDADE: 34%

4 - Cuidados com o bem-estar

Adotar medidas em relação a seus produtos ou serviços que visem minimizar os riscos à saúde e segurança do consumidor ou cliente é a quarta prática de RSE que os consumidores mais priorizam nas empresas.
NOTA MÉDIA: 2,55
ESSENCIALIDADE: 23%

5 - Respeito ao trabalho terceirizado

Garantir ao trabalhador terceirizado as mesmas condições de saúde e segurança no trabalho de que gozam os empregados regulares, além de oferecer benefícios básicos, é a quinta prática de RSE que os consumidores mais valorizam nas empresas.
NOTA MÉDIA: 2,54
ESSENCIALIDADE: 23%

6 - Economia de água

Manter programas para racionalização e otimização do uso da água é a sexta prática de RSE que os consumidores mais priorizam nas companhias.
NOTA MÉDIA: 2,45
ESSENCIALIDADE: 19%

7 - Investir em especialização

Oferecer programas de alfabetização e desenvolvimento de carreira para os empregados é a sétima prática de RSE que os consumidores mais valorizam nas empresas.
NOTA MÉDIA: 2,44
ESSENCIALIDADE: 19%

8 - Preocupação com reciclagem

Investir em novas tecnologias quer permitam a reciclagem de seus produtos após o uso é a oitava prática de RSE que os consumidores mais priorizam nas companhias.
NOTA MÉDIA: 2,43
ESSENCIALIDADE: 20%

9 - Formar consumidores conscientes

Promover programas que informem e eduquem a população a respeito dos impactos sociais e ambientais de seus hábitos de consumo é a nona prática de RSE mais valorizada.
NOTA MÉDIA: 2,41
ESSENCIALIDADE: 19%

10 - Orientar sobre uso e descarte

Informar o consumidor a respeito dos cuidados que devem ser observados durante o uso e descarte do produto é a décima prática de RSE mais priorizada pela população.
NOTA MÉDIA: 2,35
ESSENCIALIDADE: 13%